09 Março 2021
FLY.PT: a boleia do futuro está já ao virar da esquina

Imagem: Exemplo de um sistema intermodal de transporte | Fonte: Airbus

 

Os carros voadores fazem há décadas parte da imagética popular, seja em filmes ou em livros de ficção científica, constituindo uma ideia que a poucos deixa indiferente. Mas e se ideia se concretizar em realidade num futuro não assim tão distante?

Com o projeto mobilizador FLY.PT, que se insere numa estratégia de resposta nacional aos desafios criados pelo desenvolvimento sustentável no sector da aeronáutica, este futuro está cada vez mais próximo, e escreve-se em Português.

Consórcio aeronáutico nacional

Depois de um consórcio português, onde se insere o PIEP, ter chamado a atenção da comunicação social, graças à chegada a Marte do veículo Perseverance, chega agora a vez de mencionar o trabalho promissor doutro consórcio português, no sector da aeronáutica.

Este consórcio é constituído pela Caetano Aeronautic; PIEP; SETSA; Optimal Structural Solutions; CONTROLAR; Almadesign; TEKEVER II; INEGI; CEIIA; ISQ; INESC TEC; IPL; ISEP; AEDCP (Cluster Português para as Indústrias da Aeronáutica, Espaço e Defesa); EMPORDEF; Universidade de Évora; CODI; FHP e Stratosphere S.A.

Mas em que consiste exatamente o projeto que este consórcio está a desenvolver?

Imagem: Exemplo de funcionamento de veículo intermodal de transporte | Fonte: Techbooky

Sistema intermodal de transporte

O FLY.PT irá conceber o protótipo de um sistema de transporte aéreo pessoal intermodal, à escala, constituído por:

  • um veículo autónomo automóvel (skate), permitindo a mobilidade terrestre,
  • um veículo autónomo aéreo (drone), permitindo a mobilidade aérea,
  • uma cabine acoplável a cada um dos dois veículos.

 

Com o crescente congestionamento rodoviário serão necessárias novas soluções para o transporte de pessoas e bens e novos sistemas de mobilidade.

A solução pode estar na articulação entre o transporte rodoviário e o transporte aéreo, em complementaridade aos sistemas de mobilidade existentes.

Foto: exemplo de novo tipo de transporte aéreo e automóvel | Fonte: Drone Enthusiast

Contributo do PIEP

O PIEP está assim a colaborar na criação de um novo tipo de transporte aéreo modular, piscando o olho ao veículo do futuro, onde o passageiro troca a estrada pelo céu em poucos segundos.

Nas palavras de Nuno Gonçalves, responsável pelo projeto no PIEP, “o projeto deseja lançar as sementes do transporte urbano e da mobilidade do futuro, a nível de multimodalidade, tecnologias e materiais, unindo a mobilidade horizontal com a mobilidade vertical de forma inovadora. Este projeto ajudará a reduzir o congestionamento e a pegada de carbono associada à mobilidade urbana, assim como aumentar a competitividade da indústria nacional, criando produtos e serviços de valor acrescentado, num trabalho disruptivo de um amplo consórcio português.  

O PIEP encontra-se a trabalhar na vertente das estruturas, materiais e processos (metálicas e compósitos) e dos interiores e fatores humanos deste veículo multimodal, mais concretamente no design interior do veículo e nos testes dos seus materiais e processos.

Este é um projeto mobilizador que visa a criação de novos produtos, processos ou serviços com elevado conteúdo tecnológico e de inovação, sendo cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Portugal 2020.

O projeto, que terminará em 2023, irá explorar ainda tecnologias ligadas à eletrificação das aeronaves, novos sistemas autónomos, entre outros desafios tecnológicos que se anteveem neste sector.

Até lá, continuaremos a utilizar os veículos tradicionais da atualidade.

Partilhar

Outras notícias

16 Setembro 2021
PIEP instala dois novos laboratórios
08 Setembro 2021
A simulação do processo produtivo no cumprimento da elevada qualidade e das exigências requeridas pela indústria automóvel
Este site pode utilizar Cookies para manter informação do visitante, permitindo determinar as suas preferências, auxiliar no preenchimento de formulários, permitir o acesso a áreas privadas do website onde seja necessária autenticação, bem como recolher indicadores de performance, origem e horário dos acessos ao website.
aceito