07 Novembro 2022
PIEP participa no consórcio SUSTAINABLE PLASTICS com apoio do PRR para promover a Economia Circular dos Plásticos

Foi aprovado pela Comissão de Coordenação das Agendas o projeto apresentado pelo Consórcio SUSTAINABLE PLASTICS, liderado pela LOGOPLASTE INNOVATION LAB e pela APIP – ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DOS PLÁSTICOS, tendo como objetivo promover a transição verde da Indústria dos Plásticos para a Economia Circular.

 

O PIEP (Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros), centro de interface da Universidade do Minho, faz parte do consórcio SUSTAINABLE PLASTICS, que vai incentivar a transição para a Economia Circular no setor dos plásticos em Portugal. Este foi um dos primeiros contratos assinados no âmbito das Agendas Mobilizadoras para a Inovação Empresarial, do Plano de Recuperação e Resiliência, em cerimónia pública presidida pelo Primeiro-Ministro António Costa.

O projeto SUSTAINABLE PLASTICS pretende ser a Agenda Mobilizadora para os Plásticos Sustentáveis em Portugal, capaz de alavancar a transição do setor para uma economia verdadeiramente circular. Surge de uma iniciativa da APIP, liderada pela LOGOPLASTE INNOVATION LAB, e pretende mobilizar o setor privado, as autoridades nacionais, as universidades e os cidadãos, contribuindo para os objetivos da Economia Circular Europeia. A iniciativa assenta sobre três pilares:

• A redução de emissões de gases com efeito de estufa (GHG)
• Maior eficiência de recursos
• Criação de emprego

Atendendo à complexidade da cadeia de valor da Indústria dos Plásticos, que envolve um número muito alargado de Partes Interessadas (e.g. produtores de materiais plásticos e matérias-primas, transformadores, fabricantes de máquinas e equipamentos, brand-owners, retalhistas e distribuidores, agentes da gestão de resíduos, entre muitos outros), tornou-se essencial promover a criação de um ecossistema de inovação capaz de envolver todos estes agentes económicos, assim como os consumidores, no sentido de endereçar os desafios que a Economia Circular apresenta.

O Consórcio reúne 39 Empresas e 10 Entidades Não Empresariais do Sistema Científico e Tecnológico, tendo como objetivo cobrir todos os segmentos e subsetores da Indústria dos Plásticos e responder aos principais desafios enfrentados pelos agentes desta nova Cadeia Alargada de Valor. Foram assim selecionadas organizações que, beneficiando de capacidades e competências técnicas, organizacionais e tecnológicas, permitem responder às ambiciosas metas e objetivos de transição do setor para a Economia Circular, contribuindo também para um Portugal mais dinâmico, exportador e altamente qualificado.

Os objetivos do SUSTAINABLE PLASTICS são:

• Introduzir no mercado 21 produtos inovadores – que aportam valor para a Economia Circular dos Plásticos e consumidores

• 36 novas patentes – registando avanço tecnológico e científico

• Publicações de caráter científico – partilhando conhecimento a nível nacional e internacional

• Redução de 30% na emissão de gases com efeito de estufa associadas aos processos produtivos

 

Espera-se que até dezembro de 2025, esta Agenda envolva cerca de 427 recursos humanos altamente qualificados nos domínios das ciências, engenharias e tecnologia, promova mais de 80 ações de formação e permita criar novos postos de trabalho.

O SUSTAINABLE PLASTICS propõe um montante de investimento global de 39.161.831,64 € (trinta e nove milhões, cento e sessenta e um mil, oitocentos e trinta e um euros e sessenta e quatro cêntimos) e receberá uma contribuição nacional de 24.447.875,19 € (vinte e quatro milhões, quatrocentos e quarenta e sete mil, oitocentos e setenta e cinco euros e dezanove cêntimos), e estará concluído e com resultados concretizados até 31 de dezembro de 2025.

Partilhar

Outras notícias

16 Novembro 2022
PIEP de portas abertas na iniciativa Tech@Weeks da ANI
27 Outubro 2022
Moldação Híbrida na produção de produtos de valor acrescentado
Este site pode utilizar Cookies para manter informação do visitante, permitindo determinar as suas preferências, auxiliar no preenchimento de formulários, permitir o acesso a áreas privadas do website onde seja necessária autenticação, bem como recolher indicadores de performance, origem e horário dos acessos ao website.
aceito